Siga:

6/6/202206:03:51

Índice CEAGESP encerrou o mês de maio em queda de 6,68%


- Descrição do Índice

O índice de preços da CEAGESP encerrou o mês de maio com uma queda de 6,68% em comparação ao mês anterior, significando uma diminuição de 2,72 pontos percentuais. O destaque do período ficou com o setor de Legumes, que apresentou queda de 15,17% e permaneceu em uma trajetória de baixa. É importante destacar que produtos como a cenoura e os tomates, outrora os mais prejudicados pelos fatores climáticos e apontados como os principais “vilões inflacionários”, apresentaram reduções de preço, conforme se vê a seguir:

Setorização

O setor de FRUTAS apresentou uma queda nos preços de 3,13%. Dos 38 itens cotados nesta cesta de produtos, 65,79% apresentaram uma diminuição na média de preços. As principais quedas ocorreram na UVA BENITAKA (-15,50%), na UVA NIÁGARA (-14,46%), no MAMÃO HAVAÍ (-14,37%), na UVA RUBI (-14,16%) e no MELÃO AMARELO (-14,14%). As principais altas ocorreram no MORANGO (60,04%), na MANGA TOMMY ATKINS (20,23%), na GOIABA VERMELHA (19,52%), na GOIABA BRANCA (17,43%) e na MANGA PALMER (16,94%).

SÍNTESE: A chegada antecipada do clima frio provocou um retardo no amadurecimento do morango, causando um atraso no início da safra do produto. Já para as goiabas, além do clima frio, a sazonalidade (fim de safra do primeiro semestre) acabou prejudicando a oferta desse cultivo. As fortes chuvas na Bahia têm prejudicado a produção e o fornecimento das mangas. Para o setor, em um contexto geral, nota-se uma retomada no volume ofertado dos produtos – melhorando o índice de preços do setor.

O setor de LEGUMES apresentou uma queda nos preços de 15,17%. Dos 33 itens cotados nesta cesta de produtos, 60,61% apresentaram uma diminuição na média de preços. As principais quedas ocorreram na CENOURA (-40,14%), no TOMATE CARMEM (-39,03%), no TOMATE PIZZAD’ORO (-34,34%), na VAGEM MACARRÃO CURTA (-26,91%) e na ABÓBORA JAPONESA (-25,43%). As principais altas ocorreram no QUIABO LISO (43,71%), na ABOBRINHA BRASILEIRA (16,69%), na ABOBRINHA ITALIANA (14,35%), na MANDIOQUINHA (11,47%) e na BERINJELA (8,17%).

SÍNTESE: A melhora no volume de oferta dos itens como a cenoura e os tomates – produtos de maior peso para a composição do índice de preços no setor de Legumes – contribuiu bastante para o recuo na média dos preços. Entretanto, as questões climáticas (para as culturas mais sensíveis) e o aumento dos custos de produção ainda refletem em alguns itens, tais como o quiabo liso, as abobrinhas e a mandioquinha.

O setor de VERDURAS apresentou uma queda nos preços de 14,10%. Dos 38 itens cotados nesta cesta de produtos, 78,95% apresentaram uma diminuição na média de preços. As principais quedas ocorreram na SALSA (-39,89%), no ESPINAFRE (-36,48%), na ALFACE AMERICANA (-23,96%), no REPOLHO LISO (-22,94%) e na ALFACE CRESPA (-22,58%). As principais altas ocorreram na COUVE (32,53%), na CEBOLINHA (24,19%), no MANJERICÃO (7,29%), no ALHO-PORÓ (5,15%) e no BRÓCOLOS NINJA (2,20%).

SÍNTESE: Embora o setor de Verduras não tenha apresentado a maior redução de valores entre os setores, foi o que apresentou o maior número de produtos em queda de preço. O clima mais ameno refletiu na estabilidade da oferta bem como no recuo de preços em relação ao mês anterior e acabou levando à redução nos preços médios.

O setor de DIVERSOS apresentou uma alta nos preços de 4,44%. Dos 11 itens cotados nesta cesta de produtos, 54,54% tiveram elevação nos valores médios. As principais altas ocorreram na CEBOLA (20,17%), na BATATA ASTERIX (14,29%), na BATATA LAVADA (11,51%), no ALHO IMPORTADO (6,78%) e no ALHO NACIONAL (2,88%). As principais quedas ocorreram no AMENDOIM COM CASCA (-5,11%), nos OVOS BRANCOS (-4,32%), nos OVOS VERMELHOS (-2,61%), no MILHO DE PIPOCA IMPORTADO (-0,86%) e no COCO SECO (-0,39%).

SÍNTESE: A principal justificativa para o aumento do setor está no encerramento da safra de cebola na região Sul do país e no aporte insuficiente de cebolas importadas, que ajudam no equilíbrio dos preços, bem como o retardo do início da safra das batatas na região de Vargem Grande Paulista.

O setor de PESCADOS apresentou uma queda nos preços de 7,14%. As principais quedas ocorreram em SARDINHA CONGELADA (-46,67%), CASCOTE (-34,80%), CORVINA (-27,43%), TILÁPIA (-14,95%) e PESCADA (-13,97%). As principais altas ocorreram na ABROTÉA (8,33%) e no SALMÃO (1,32%).

- Tendência do Índice

Mantendo-se as condições climáticas favoráveis e, consequentemente, a entrada em volume adequado dos produtos sazonais, acredita-se que o índice de preços CEAGESP continue seguindo dentro de uma trajetória de queda no próximo mês.


Maio - 2022

CategoriaÍndice %
Geral-6,68%
Frutas-3,13%
Legumes-15,17%
Verduras-14,10%
Diversos*4,44%
Pescados-7,14%




Enviar para um amigo

Mensagem enviada com sucesso!

Seu Nome:
E-mail do Amigo:

Comunicar um erro

Mensagem enviada com sucesso!

Seu E-mail:
Comunique o erro:
Versão para impressão Enviar para um amigo Comunicar um erro

Outros Índices de 2022:

Veja também: