Siga:

6/10/202110:01:40

Índice CEAGESP foi de 3,0% em setembro


Indicador registra 3% no acumulado do ano

- Descrição do Índice

O índice de preços da CEAGESP encerra o mês de setembro com o valor absoluto de 3,0%, significando uma queda de 6,17% em relação ao valor calculado para o mês de agosto. No acumulado do ano, registra 3,0%.
O setor de legumes segue em alta no acumulado do ano, com 47,47%, ao passo que os setores de frutas e diversos acumulam queda de -9,56% e -14,50%, respectivamente, para o mesmo período.

Em setembro, o setor de frutas teve alta de 7,40%. Os principais aumentos ocorreram nos preços da carambola (73,16%) e da pera estrangeira William’s, com 47,09%, além de mamão havaí (36,91%), manga Tommy Atkins (29,03%) e mamão formosa (28,78 %). As principais quedas foram nos preços do morango (-37,07%), da acerola (-26,78%), das goiabas branca (-17,52%) e vermelha (-14,83%) e o abacate margarida (-10,48%).

O setor de legumes apresentou uma queda de 5,13%. As principais baixas ocorreram nos preços da abobrinha italiana (-57,14%), abobrinha brasileira (-46,55 %), pepino japonês (-36,18 %), vagem macarrão curta (-32,09) e berinjela japonesa (-31,14%). As principais altas ocorreram no tomate italiano (54,85 %), chuchu (51,25%), tomate cereja (33,78%), abóbora seca (32,29 %) e o tomate do grupo “achatado”, com (28,66%).

O setor de verduras registrou variação de -10,12%. As principais quedas ficaram por conta do repolho liso (-37,97%), do manjericão (-30,30%), do nabo (-24,40%), da beterraba com folhas (-21,38%) e da alface crespa (-19,74%). As maiores elevações foram nos preços da salsa (12,93%), do milho verde (11,49%), do brócolos (8,29%), do rabanete (6,44%) e do moyashi (5,86%).

O setor de diversos fechou o mês estável, com índice geral de -0,35%. As principais baixas ocorreram nos preços da cebola nacional (-6,50%), dos ovos brancos (-5,37%) e vermelhos (-1,97%). Ficaram em estabilidade a cebola estrangeira e o alho argentino (0,0%). As principais altas ficaram por conta de milho de pipoca (12,12%), batata lavada (7,03%), canjica (7,02%), coco seco (6,44%) e alho nacional (4,49%).
O setor de pescados apresentou alta de 5,28% e os principais aumentos ocorreram nos preços da anchova (33,74%), da pescada (29,78%), da abrótea (24,56%), da tainha (19,39%) e do camarão ferro (13,08%). As principais quedas foram registradas nos preços do salmão (-7,37%), da corvina (-4,71%), do curimbatá (-3,52%), da cavalinha (-0,38%) e da lula congelada (-0,01%).

- Tendência do Índice

A geada e estiagem ainda se refletem nas altas do mês de setembro, com maior influência para o setor de frutas. O setor de verduras foi o que apresentou maior baixa em relação ao mês anterior. Paro o setor de diversos nota-se uma queda com relação a agosto.

Para este mês de outubro, com o início das chuvas, espera-se uma normalização dos efeitos provocados pela estiagem, apesar de haver tendências de temperaturas acima da média para o período, o que pode afetar algumas culturas mais sensíveis. O mercado permanece bem abastecido, de acordo com a demanda.


Setembro - 2021

CategoriaÍndice %
Geral3,00%
Frutas7,40%
Legumes-5,13%
Verduras-10,12%
Diversos*-0,35%
Pescados5,28%




Enviar para um amigo

Mensagem enviada com sucesso!

Seu Nome:
E-mail do Amigo:

Comunicar um erro

Mensagem enviada com sucesso!

Seu E-mail:
Comunique o erro:
Versão para impressão Enviar para um amigo Comunicar um erro

Outros Índices de 2021:

Veja também: